A luta contra os maus tratos de animais Categoria: Guarda Responsável | 18 de Janeiro de 2012 | Por: Aline Ailetos 0

Para lutarmos contra os maus tratos de animais, além de participar das manifestações, devemos cuidar bem dos nossos, castrando, dando segurança, cuidando da saude, levando ao veterinario e jamais abandonando.

Ultimamente quase que diariamente nos deparamos com notícias de maus tratos contra os animais. Parece que a cada caso que surge, a crueldade dos algozes para com as suas vítimas aumenta. E além de sofrermos pelos animais, que muitas vezes pagam com suas vidas, sofremos pela impunidade, pelo descado da polícia e pela ineficácia ou não cumprimento das leis. Muitos de nós só conseguem esquecer de um caso quando surge outro; muitas vezes nem assim esquecemos. Diante desta dura realidade, eu me pergunto, e vos pergunto também: O que podemos fazer?

Acredito que muitos, senão todos diriam que devemos participar das manifestações, dos abaixo-assinados, que devemos exigir leis mais severas. Eu concordo com todas estas alternativas para se brigar por uma realidade menos cruel para os cães e os gatos. Porém, eu gostaria de considerar também outras atitudes, que acredito serem tão importantes quanto estas medidas já mencionadas. Eu gostaria que todos analisassem os cuidados dedicados aos próprios animais, que refletissem acerca de suas responsabilidades. Será que estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance, ou que ao menos temos a obrigação de fazer pelos bichos que temos em casa?

crédito: daoro

 

Como estão os cuidados com a saúde?

Os casos que aparecem na mídia chocam, são sórdidos, aterradores. Porém, será que também não estamos promovendo o sofrimento dos nossos animais? Existem muitos animais com dono adoecendo sem cuidados. Não são poucas as pessoas que alegam não terem condições financeiras para tratamento veterinário e procuram indicações pela internet. Donos, atendimento veterinário não é luxo, é obrigação e jamais deve ser negligenciado. Se fosse fácil descobrir o problema de um animal comparando sintomas com outros casos relatados na internet, não existiria um curso superior denso e extenso, além de anos de prática para se tornar um bom profissional da medicina veterinária.

 

Estamos garantindo a segurança?

Os donos de animais são responsáveis por garantirem a segurança deles. No entanto muitos deixam que seus bichos saiam livres às ruas e estejam expostos a todo tipo de perigos, de acidentes e de maus tratos que, como sabemos, acabam ficando impunes ou baratos para os agressores. Devido a questões culturais, é muito difícil convencer as pessoas de que não é maldade e de que é perfeitamente possível manter os bichanos dentro de casa. Gatos saem simplesmente porque conseguem sair e não porque devem. Contudo, não são apenas os felinos que dão suas voltinhas, muitos donos de cães ainda permitem que seus animais andem pela vizinhança. Com isso, eu peço que reflitam, que não se acomodem e que não deixem seus animais soltos e sujeitos aos perigos das ruas. É justo exigir que as leis sejam mais severas, pois estas podem coibir as pessoas de continuarem a praticar a violência contra os cães e os gatos. Porém é também válido e necessário evitar que os animais que já tenham donos estejam ao alance dos malfeitores, que existem aos montes.

 

Nossos bichos estão castrados?

Castrar seu animal, seja ele de raça ou não, mesmo antes de se obter qualquer ninhada, é sem sombra de dúvida a atitude de maior eficácia para se combater a crueldade contra os animais de estimação. Deveria ser o mote de todos os amantes dos animais e dos que se preocupam com a causa animal. Diante da realidade da superpopulação de cães e gatos, o que faz com que não consigamos cuidar de todos como eles merecem, permitir que mais animais nasçam sob seus cuidados é um grande desserviço aos indivíduos destas espécies. Existe um incontável número de animais nascendo sem controle pelas ruas, animais estes que têm reduzidas chances de encontrarem um dono e não estarem tão vulneráveis a estas atrocidades estampadas diariamente nas notícias. Imagine se eles ainda têm que disputar estas reduzidas chances com as ninhadas que nascem pelo capricho ou pelo descuido de muitos donos.

 

Estamos abandonando nossos animais?

Até pensei em não tocar neste ponto, pois o abandono é uma atitude extremamente inconcebível. Já existem muitos animais nas ruas nascendo sem controle, existe um grande descaso do governo para com esta questão e são poucas as pessoas sérias que trabalham ativamente para reverterem a situação. O bicho que você tem em casa e que não quer mais é um a mais a engrossar este enorme problema. Agora imagine se muitas pessoas pensarem da mesma maneira e resolverem se desfazer dos seus animais.

crédito: Mad Wraith

Para concluir, vamos às manifestações, vamos assinar os abaixo-assinados. Vamos votar em políticos atentos à causa animal, vamos ajudar no que for possível as ONGs de proteção animal, acompanhando sempre de perto o trabalho delas para não financiarmos causas erradas, vamos denunciar todos os maus tratos que presenciarmos. E vamos cuidar com responsabilidade dos nossos animais. Tenho certeza de que assim as futuras gerações de cães e gatos enfrentarão menos sofrimento nas mãos da espécie humana.

Leia também: Alguns tópicos sobre a guarda responsável

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*