Gato ou cachorro, eis a questao Categoria: Comportamento | 13 de Setembro de 2011 | Por: Aline Ailetos 0

Adquirir um animal de estimação não deve ser um ato impulsivo. Além disso, é importante conhecer as características principais dos gatos e dos cachorros para se considerar qual é o melhor animal de estimação para você. Neste texto você encontrará um relato pessoal sobre as características principais dos cães.

Antes de ter um animal de estimação é preciso considerar a responsabilidade que se está assumindo ao trazer um bicho para o seu convívio. Por isso, é muito importante refletir bastante e conversar com as pessoas que estarão envolvidas neste convívio, pois uma atitude consciente e não impulsiva já é meio caminho para que a sua relação com o animal dê certo.

Feito isso, chega a hora decidir sobre qual espécie ter. Será melhor ter um gato ou um cão? Estas duas espécies são muito diferentes mas, no geral, uma não pode ser considerada melhor do que a outra. No entanto, uma pode sim ser melhor do que a outra para você.

Para decidir se o gato ou o cachorro é melhor para você é preciso fazer algumas considerações sobre si próprio e suas condições. Deve-se considerar o tempo que você poderá dedicar ao bicho, o espaço disponível, a sua disposição para educar, passear, cuidar, tolerar eventuais barulhos, bagunça, pelos, urina, fezes e também a sua disposição para adaptar a casa.

Aliada a tudo isso vem a necessidade de se buscar informações sobre as características de cães e gatos, os cuidados que devem ser dispensados a eles e suas necessidades quanto espécies. Ainda, considere que estas características, cuidados e necessidades podem variar não só de cão para gato como também de indivíduo para indivíduo e de raça para raça da mesma espécie.

É, não é uma decisão fácil, assim como ter um animal em casa não é de tudo fácil. Porém é muito compensador. Bom, sou suspeita para dar esta opinião, pois para mim a vida sem conviver com os bichos é muito chata.

Portanto, considerando a convivência com os meus animais, decidi fazer um relato sobre minha experiência com gatos e cachorros. Quem sabe pode ser útil a alguém que esteja neste processo de ter um bicho e não sabe qual ter. E antes de começar quero fazer um alerta. O que vem a seguir é um relato PESSOAL e não científico. São minhas considerações pessoais sobre estas duas espécies e não um estudo do comportamento e necessidades delas.

 

Meus fiéis companheiros, os cães, e eu

Crédito das fotos: donnierayjones

Eu convivo com cães desde cedo em minha vida e isso já faz um bom tempo. “Peralá”, senti-me velha. Eu tenho a recordação bastante viva (e eu estava aprendendo a andar ainda, mentira pode acreditar) do dia em que meu pai chegou com uma caixa de papelão toda furada que dentro trazia um filhote de um puríssimo vira-latas. Era a Jolly, cachorrinha que, desde então, viveu conosco todos os seus 15 anos de idade. Depois de uns bons anos veio a Hannah, uma husky siberiana que partiu aos oito anos de idade por conta de uma parada cardíaca jamais imaginada por nós. Hoje temos outros dois SRD’s, o Otto e a Ivvi, aquele adotado quando filhote e esta adotada ano passado, depois de adulta.

O que posso escrever sobre os cães é que eles são muito compatíveis com o ser humano. Ele é praticamente tudo o que nós esperamos de alguém em um relacionamento. O cachorro é realmente o merecedor do título de melhor amigo do homem. São companheiros fiéis, sempre dispostos a uma brincadeira, a um passeio e sempre demonstram enorme satisfação ao nos ver. São animais cheios de energia, carentes, mais dependentes de nós e que exigem mais atenção.

Os cachorros são animais muito educáveis. Ele vê em você o líder da matilha, então quando você quer você pode ter toda a atenção dele e, com isso, você pode ensinar muita coisa ao cachorro. Aqui, infelizmente nunca tivemos paciência de educar os cães, então, por exemplo, eles fazem suas necessidades fisiológicas em quase todo o quintal e o Otto faz xixi também dentro de casa em um típico comportamento de demarcação territorial que deveria ter passado por ele ser castrado. Desta maneira, acabamos tendo mais trabalho para limpar a casa. E são mais barulhentos também por latirem. Porém, acredito que seja perfeitamente possível educar o cachorro para que ele não lata, pelo menos em alguns horários, ou por algum motivo. Mais uma vez, não educamos nossos cães para isso.

Os cães apresentam uma grande variação de tamanho. Se você escolher determinada raça você saberá o tamanho que ele terá depois de adulto. No caso dos vira-latas isso é mais difícil a não ser que você opte por adotar um animal adulto, o que pode ser muito gratificante também, como foi para nós ao adotarmos a Ivvi. Em todo o caso, os cachorros necessitam de mais espaço quando comparados aos gatos e precisam também de passeios diários. O passeio é muito prazeroso para o cachorro, mas pode não ser tanto para você. Aqui quem passeia com os cães são meus pais e o Otto tem a mania de puxar. Mais uma vez, é perfeitamente possível e altamente recomendável assumir o controle do passeio. Porém, não o fizemos ainda por aqui. Espero um dia ainda fazer, pois a qualidade do passeio tanto para a pessoa quanto para o cachorro é muito maior.

Para quem não consegue educar seu cachorro para o passeio, recomendo: A coleira gentle leader realmente funciona

Cachorros também têm mais necessidade de banho. É bem difícil deixar passar um mês sem dar um bom banho no seu cão. Alguns precisam também de tosa ou de escovação, o que pode exigir que você leve seu cão para tomar banho em lugares especializados.

Enfim, os cachorros são adoráveis companhias, principalmente para quem tem energia para gastar com eles. E podem oferecer companhia ainda melhor se você tem disposição de educá-lo.

Bom, extrapolado o máximo de caracteres permitidos para hoje, o relato sobre minha experiência com os gatos eu escreverei no próximo post para que este não fique muito longo e enfadonho. Até lá.

Artigo sobre as características dos gatos: Gato ou cachorro, eis a questão – continuação

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*