Já que os atraímos Categoria: Domesticação | 5 de Setembro de 2011 | Por: Aline Ailetos 0

A domesticação de animais é um processo antigo na história do homem. Os cachorros e os gatos foram atraídos pelos seres humanos, deixando seu estado selvagem para serem animais domésticos. Com isso, nos tornamos responsáveis por estas duas espécies.

A domesticação de animais é um processo bastante antigo na história do homem. O cão, foi a primeira espécie domesticada, entre 15.000 e 40.000 anos atrás, a partir de, lobos cinzentos euroasiáticos.

Ainda não se sabe o motivo e a forma pela qual ocorreu a domesticação do cachorro. Sendo este o motivo ou não, eles se alimentavam dos restos de comida do homem e, em contrapartida, ajudavam-o na caça, protegiam-o e, posteriormente, com a domesticação de outras espécies, ajudavam-o no pastoreio. E com o advento da “civilização”, participavam das guerras.

Com o tempo e com a popularização do que é hoje considerado o melhor amigo do homem, espalhou-se por todo o planeta e acompanhou o homem quando este trocou o campo pelas cidades. Hoje, existem mais 400 raças reconhecidas de cachorros que apresentam grande variação de cores e tamanho e habitam os lares de grande parte da população. Dessa forma, o papel do cão na vida do homem foi se transformando ao longo do tempo, de um animal de trabalho a princípio, para o animal de estimação e até membro da família em muitos casos.

Crédito: Dano

Já a domesticação do gato é mais recente, datando de mais de 9.000 anos atrás, com o surgimento da agricultura ao norte da África, no chamado Crescente Fértil. Nesta região, o gato selvagem foi atraído para as cidades pelos camundongos, estes, por sua vez atraídos pelos grãos produzidos pela agricultura humana. Como ajudavam a combater estas pragas, foi permitido a eles ficarem. E por conta de seus traços graciosos, com o tempo foram levados para dentro das residências e foram amansados. Após isso, dispersou-se por todo o planeta pelo homem a partir das rotas comerciais. Hoje reside diversos lares, sendo o animal de estimação preferido em países como os Estados Unidos.

Crédito: fwooper

Dessa forma, estas duas espécies evoluíram do estado selvagem para o convívio com os seres humanos. Por reproduzirem-se muito rapidamente e ter farta oferta de alimentos, ocorreu um grande aumento populacional. Com o passar do tempo, isso gerou diversos problemas de ordem sociail, de saúde e ambiental. Hoje, as pessoas disponíveis para tutelar cães e gatos não dão conta de todos os indivíduos destas populações.

Nossa espécie, a racional da questão, gerou o problema, agora de quem é a conta? Acredito que seja nossa, mas quem paga caro é o cachorro, é o gato. São eles que sofrem maus tratos nas ruas, morrem de fome e de doenças. A responsabilidade por isso é nossa, de todos nós, é uma herança de nossos antepassados, de nossos ancestrais. Precisamos agir para atenuar esta questão. De que forma? Existem inúmeras maneiras de se atenuar o problema. Ao menos castre seus bichos, não queira tirar uma ninhada dele, existem muitos animais a espera de um lar. Não abandone os animais que você já adquiriu nunca, ele dificilmente encontrará outro dono e, se encontrar, tirará a oportunidade de um animal abandonado. Por isso, pense bem antes de comprar ou adotar um cão ou um gato. Se possível, ajude ongs e protetores de animais, ajude o bicho que você encontrou na rua. E, muito importante também, conscientize o maior número de pessoas possível.

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*