Labrador Retriever – Raças de Cachorro Categoria: Raça de cachorro | 21 de Maio de 2012 | Por: Aline Ailetos 12

Labrador Retriever é uma das raças de cães mais populares do país. Se você está pensando em comprar ou adotar um cachorro filhote ou adulto de labrador, conheça suas principais características comportamentais e físicas e as principais doenças que comumente ocorrem no Labrador Retriever e veja se este é o cão ideal para você, sua família e sua casa.

Adquirir um cachorro de estimação exige muita consciência e responsabilidade, uma vez que não estamos falando de um objeto e sim de uma vida, que é dependente e que se apega às pessoas com quem convive. Este é um compromisso de vários anos e você deve estar preparado para garantir todas os cuidados necessários durante todo este tempo.

Leia também: Você quer mesmo ter um animal de estimação?

É importante considerar, ainda, que existem diversas raças de cães e que para a escolha de uma é muito importante conhecer todas as suas características e necessidades para poder decidir se o seu futuro cachorro será compatível com você e com o que você pode oferecer a ele. Não escolha uma raça de cachorro apenas pela sua aparência e jamais tenha um cachorro de raça por moda ou por status.

Leia também: A escolha do seu gato ou cachorro de raça: comece por aqui

Então você está pensando em adquirir um labrador? Leia o texto abaixo e conheça um pouco mais sobre esta incrível raça de cachorro.

  1. Histórico
  2. Personalidade e Comportamento
  3. Características Físicas
  4. Doenças comuns à raça
  5. Adquirindo um Labrador Retriever

labrador retrieverCrédito: 60North

 

Histórico

Acredita-se que o Labrador Retriever tenha originado em Newfoundland, na costa leste do Canadá. Nesta região, o labrador teria sido desenvolvido por pescadores a partir de uma raça maior de cachorro com o mesmo nome da região, Newfoundland ou Terra Nova, para os auxiliar na pesca, puxando a rede da água para a terra. Dessa forma, o labrador teria se tornado um bom nadador, um cão forte e obediente e com uma pelagem bastante densa, apesar de curta, para se proteger da água fria da região.

Do Canadá, o labrador foi levado à Inglaterra, país em que a raça foi reconhecida e onde passou a ser utilizada pelo homem para auxiliá-lo na caça. Nesta atividade, o labrador era utilizado para recuperar a presa abatida pelo homem, uma vez que este cachorro tem um faro bastante aguçado, além de ser um retriever, ou seja, um cão de busca.

 

Personalidade e Comportamento

labrador nadandoLabradores são cães dóceis, inteligentes, obedientes, muito apegados às pessoas e cheios de energia, características que tornam estes cachorros um dos mais indicados para quem tem crianças e para o convívio com outros animais. O labrador precisa de muito exercício, atenção e brincadeiras, não basta apenas dar uma volta no quarteirão por dia para gastar toda a energia dos cachorros desta raça. E como estes cachorros adoram água, a natação é um dos exercícios mais indicados para o labrador.

 

Um cachorro labrador amadurece lentamente e, com isso, demora muitos anos para se tornar mais calmo. Além dos exercícios físicos, o labrador precisa de estímulos mentais para não se tornar entediado e destrutivo, o que torna importante o treinamento e o ensino de alguns comandos básicos. E por gostar de morder objetos, brinquedos próprios para cães são indispensáveis para que ele não coma o seu sapato.

Labradores não são indicados para apartamentos e para pessoas que têm pouco tempo para dar atenção e para a prática de exercícios. Ainda, não tenha um labrador se você procura um cão de guarda, pois este cachorro não é nada agressivo, não late muito e em geral não estranha pessoas desconhecidas.

Crédito: OakleyOriginals

 

 

Características Físicas

O labrador é um cachorro largo e fortemente constituído e, apesar de ser muito ativo, tem tendência à obesidade, a qual deve ser combatida. Os machos possuem de 56 a 57 centímetros, enquanto que as fêmeas apresentam de 54 a 56 centímetros de altura até a cernelha. O pelo do labrador é curto, denso, sem ser ondulado e sem franjas e o subpelo apresenta resistência às intempéries. Labradores podem ser inteiramente pretos, amarelos ou chocolates. O amarelo varia do creme claro ao vermelho raposa.

labrador chocolate labrador preto

Labradores amarelos e chocolates têm maior tendência a apresentar desvios de comportamento, porém não há qualquer comprovação científica da relação entre a cor e o comportamento do labrador. O acasalamento entre o labrador amarelo e o chocolate não é recomendado, uma vez que pode gerar filhotes com problemas de despigmentação de mucosas e olhos. O mesmo ocorre no acasalamento entre dois chocolates por mais de três gerações sucessivas ou dois amarelos por mais de quatro gerações sucessivas sem a introdução de um labrador preto.

 

Doenças comuns à raça

Cachorros de raça em geral tem maior predisposição a determinadas doenças se considerar a população total de cães. Isto ocorre graças à intervenção humana na reprodução destes animais, o que é chamado de seleção artificial. Para entender o que esta seleção pode promover leia o texto “Considere os problemas das raças de cães e gatos“.

Uma das doenças mais comuns nos cachorros da raça labrador é a displasia coxofemural, caracterizada por uma má formação nas articulações entre os ossos da bacia e dos membros posteriores. Em alguns casos, a doença é assintomática, porém, na maioria dos casos a displasia provoca dor, o que faz com que o cachorro claudique ou até deixe de andar dependendo da severidade da doença e se a mesma não for adequadamente tratada. A obesidade, bastante frequente na raça, é um fator de agravamento da displasia coxofemural.

A displasia coxofemural tem caráter hereditário e, dessa forma, criadores sérios fazem radiografias de seus cães e não reproduzem os cães que apresentarem esta má formação articular. Com isso, é importante exigir o laudo que comprove que os pais do filhote a ser adquirido não apresentam displasia coxofemural.

Outra doença bastante comum na raça labrador é a displasia de cotovelo, caracterizada pelas más formações nas articulações de cotovelo, a qual também promove dor e faz com que o cachorro apresente claudicação dos membros anteriores.

Além das doenças locomotoras, labradores também são propensos a apresentarem problemas oftálmicos, como a catarata, a atrofia e a displasia de retina, as quais podem levar o cachorro à cegueira.

 

Adquirindo um Labrador Retriever

labrador filhote amarelo

Infelizmente, no Brasil encontramos um grande número dos chamados labradores atípicos, que são os cachorros da raça que apresentam desvios comportamentais, físicos e até mesmo de saúde. Isto ocorre graças à popularidade da raça, o que faz com que existam pessoas explorando comercialmente a criação de labradores sem qualquer preocupação e seriedade, apenas pensando no lucro da venda de filhotes de labrador.

A criação de labradores, assim como a criação de qualquer outra raça de cachorro ou gato exige conhecimento. Não basta apenas ter dois cães da raça para o cruzamento, é preciso conhecer a fundo a saúde e o temperamento, além da linhagem, dos cães que serão acasalados para minimizar os desvios comportamentais e as doenças comuns à raça. Portanto, não coloque seu labrador para cruzar sem qualquer conhecimento e não compre seu labrador sem conhecer o trabalho do criador. Fuja das fábricas de filhotes, pois além de financiar o sofrimento e a morte de inúmeros animais, você muito provavelmente estaria adquirindo um labrador atípico e com problemas temperamentais e físicos.

O labrador é o cão ideal para você? Se a resposta for positiva, que tal antes de comprar procurar um labrador disponível para adoção? Muitos labradores são abandonados por serem comprados por impulso e precisam de um lar.

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

12 Comentários

  1. 18 de Dezembro de 2012 às 8:38 pm
    Anapaula Madeira

    Gente!!! Tenho um cão mestiço de pastor capa preta(mãe) e labrador caramelo (pai) o pessoal do meu prédio diz que ele é muito grande e que coloca a vida deles em risco..pode???? Ele quase não late, saiio 4 vezes ao dia com ele e de fucinheira e ainda tenho que enfrentar um processo…socorro alguem me oriente plis!!! Ele tem 2 anos e 9 meses e eu nem consigo me imaginar tendo de leva-lo para um canil!!!!

    • 19 de Dezembro de 2012 às 9:00 pm
      Aline Ailetos

      Olá Anapaula,
      Não entendo muito sobre condomínios, mas até onde sei é permitido por lei que você tenha seu cachorro, mesmo que ele seja grande e mesmo que exista algo na convenção do condomínio que proíba, desde que ele não ameace a saúde e a segurança dos outros moradores.
      Encontrei uma cartilha interessante com orientações sobre animais em condomínio, vale a pena ler:
      http://www.proanima.org.br/arquivos/cartilha-sobre-animais-em-condominio
      Se está enfrentando um processo, procure um advogado para auxiliá-la e lute pelo seu cachorro! Boa sorte e espero ter ajudado.

  2. 14 de Março de 2013 às 11:29 pm
    Rafael Zolly

    Tenho um Labrador show de bola ,dócil, atencioso ,carinho tudo de bom só não entendo a agressividade que ele tem com outros animais(outros cachorros),ele quer ir pra cima e das vezes que ele pegou outros cães parecia um Pitbull não reconheço ele nessas horas,evito de passar em lugares que tem cachorros soltos ,ele é muito esperto, mesmo na coleira ,os cães se aproximam e ele dá o bote certeiro e pra separar é um custo.Fora isso ele é muito tranquilo e até demais e super educado.O que seria isso????por ele ter crescido com um gato ele acha que todo gato é amigo….me respondam essa por favor,obrigado

  3. 15 de Março de 2013 às 2:46 pm
    victor e daniel

    e para adotar ne senão for eu não tenho o dinheiro para compra o cão onde vose mora eu moro no n 3 pernambuco senador nilocoelho estado pe quaquer informasão asese meu imail

    • 16 de Março de 2013 às 8:35 am
      Aline Ailetos

      Olá Victor,
      Este é apenas um texto informativo, não temos nenhum animal à venda ou para adoção.

  4. 20 de Abril de 2013 às 11:25 am
    ANNE

    Help me! Tenho uma labradora de um aninho, fofa, fofa, só que está fofa demais… Está muito gordinha e estou pensando em dar ração light, mas meu outro cão, um mestiço de pastor e labrador de 3 anos, está em plena forma e não sei se posso dar a mesma ração para ele.

    • 22 de Abril de 2013 às 11:12 am
      Aline Ailetos

      Anne,
      Converse com um veterinário para que ele possa recomendar a melhor alimentação para cada um de seus cachorros.

  5. 8 de Junho de 2013 às 8:30 pm
    carminha

    meu genro colocou a sua cachorra[labrador] e me deu um filhote, só q ele começou sentir uma pata, levei-o no veterinário que passou remédios, dei e agora nao meche com as patas traseiras, nao tem muita firmeza nas dianteiras e resmunga quase todo o tempo, fico com peninha, ja retornei no médico e to dando outro remedio, mas nao to vendo resultados, tá comendo direitinho, que será?

    • 11 de Junho de 2013 às 8:38 am
      Aline Ailetos

      Olá Carminha,
      Se você acha que o tratamento não está dando resultado, converse com o veterinário e questione este tratamento. Ele deve explicar o que diagnosticou no seu cachorro e como está tratando. Se você não sentir confiança nele procure um outro veterinário para uma segunda opinião.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*