Os animais não falam Categoria: Cuidados | 10 de Novembro de 2011 | Por: Aline Ailetos 0

Sobre a foto: Hannah falava, pelo menos tentava, nunca a entendíamos! Saudades!

 

Imagino o que você está pensando ao ler o título deste texto:

Ó… ela teve a descoberta do século!

De fato, é bastante óbvio que os animais não falam, eles possuem seus mecanismos próprios de comunicação, entendem-se através de expressões corporais e vocalizações e cabe a nós seres humanos, os racionais, os detentores de conhecimentos e, principalmente, os que se dispuseram a zelar pela vida deles entendermos o que eles nos transmitem através de seus meios de se comunicar. E neste exercício de observação e entendimento, o que há de mais importante é notar quando alguma coisa não vai bem com os nossos bichos.

Nós sabemos reclamar quando estamos doentes, nossas crianças choram e as mães já logo entendem e atendem às necessidades delas, todos nós nos entendemos perfeitamente (nem sempre) porque pertencemos a mesma espécie. A comunicação entre seres de espécies diferentes não é tão efetiva quanto a outra, porém, é possível que nós nos entendamos. Nós conseguimos ensinar regras aos nossos animais de estimação sempre que nos fazemos claros a eles. E quando eles nos querem dizer algo?

O dono zeloso está sempre observando os comportamentos do seu bicho e a qualquer mudança ele deve ficar atento. Os sintomas claros de uma doença podem demorar muito a serem manifestados. No entanto, logo no princípio o animal pode demonstrar certo desconforto, ficar apático, diminuir suas brincadeiras, comer menos. Sempre que você perceber qualquer destas manifestações, você deve procurar auxílio médico veterinário. Doenças diagnosticadas precocemente são bem mais fáceis de serem curadas, eu tenho o exemplo do Otto e sua erliquiose.

Leia também: Cachorro que é cachorro tem carrapato

Nunca pense que pode não ser nada, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta já que estamos falando da saúde de seres que amamos. E tão importante quanto perceber as alterações no comportamento do seu bicho é buscar o tratamento adequado. E somente um veterinário consultando o seu cachorro ou o seu gato pode indicar tal tratamento. Não venha buscar auxílio na internet, mesmo que seja um veterinário indicando um tratamento, ele não está vendo o seu animal, não o está examinando, não está percebendo sintomas que muitas vezes não conseguimos notar. E com tantas doenças e sintomas parecidos, os detalhes são sempre importantes.

Que todos nós tenhamos isso em mente e DE OLHO NO BICHO!

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*