Preservando a vida dos nossos gatos Categoria: Guarda Responsável | 2 de Novembro de 2011 | Por: Aline Ailetos 3

Muitas pessoas ainda deixam seus gatos terem acesso à rua, o que é totalmente combatido pela guarda responsável. Conheça os perigos das ruas aos seus gatos, como doenças, atropelamentos e maldades, e veja como evitar a saída deles.

Uma das principais motivações que tive para criar este site foi a divulgação da guarda responsável. Já apresentei aqui os tópicos que nos norteiam para sermos donos responsáveis dos nossos animais de estimação e hoje vou me concentrar em um deles que ainda é muito negligenciado: o livre acesso dos nossos bichanos à rua. Sim, é perfeitamente possível termos nossos gatos felizes, saudáveis e protegidos mantendo-os estritamente em nossas residências.

Acredito que hoje no Brasil a maioria das pessoas ainda permite que seus felinos dêem suas voltinhas pela vizinhança. Muitos consideram esta a única maneira de se criar gatos e defendem que privar estes animais dos seus passeios é uma tremenda crueldade. Outros ainda nunca ouviram falar de pessoas que não deixam seus gatos saírem e acreditam que não é possível conter um gato dentro de casa. Eu digo que meus gatos nunca saíram de casa (salvo para atendimentos veterinários sendo devidamente carregados por mim em caixa de transporte), que eles são plenamente felizes e que foi muito fácil bloquear os acessos deles à rua, bastando apenas um pouco de boa vontade, a qual acredito que qualquer dono que ame seus animais deva possuir.

Não pense você que para mim é fácil escrever sobre o assunto. Não por não acreditar no que defendo, pelo contrário, justamente por não entender quem deixa seus gatos andarem por onde querem, comerem o que acharem, causarem transtornos aos seus vizinhos e, por tudo isso, enfrentarem os mais variados perigos. Eu conheço poucas pessoas que têm gatos, porém todas elas já perderam gatos por envenenamentos, atropelamentos ou nunca mais tiveram notícias de seus felinos. E eu me pergunto, como isto pode ser aceitável por quem ama seus animais?

 

Entendendo os perigos

Os instintos felinos transmitidos por seus ancestrais selvagens ainda são fortemente encontrados nos nossos companheiros domésticos. Eles são bons caçadores, sobem em árvores e muros para fugirem de alguma ameaça e mesmo assim eles são ingênuos com relação a diversos perigos advindos das atividades humanas. O maior deles é o nosso trânsito. Eu lembro de um dia em que eu estava andando de carro e vi um gato amarelo na calçada na companhia de seus humanos. Tinha uma criança com uma mangueira que teve a brilhante ideia de jogar água no gato. Ele saiu correndo desesperadamente para o meio da rua e por muito pouco não foi atropelado por mim mesma. De quantas ameaças destas um gato pode fugir e ir de encontro a um veículo em movimento?

Crédito: adrigu

Se você não consegue manter seu gato dentro de casa ele pode perfeitamente entrar em residências alheias. Em muitas delas ele não é benvindo e eventualmente ele pode encontrar um cachorro protegendo seu território ou mesmo um pedaço de carne envenenado. Com “sorte” ele conseguirá voltar para casa a tempo de você o ver agonizando até a morte. Em muitos casos, porém, ele nunca voltará, correndo o risco ainda de você achar que ele foi um bichano ingrato, que encontrou comida em outra casa e se esqueceu de você. Em uma ocasião uma pessoa me disse que tinha uma gata que gostava de tirar sua soneca na cama do vizinho. Certo dia esta gata foi recebida com uma paulada na cabeça. Eu não sei como as pessoas não se envergonham de contar estes casos, pois se você é responsável pela vida de um animal e ele tem uma morte brutal destas quem tem culpa pelo ocorrido é você. Absolutamente nada justifica um ato violento, mas cabe a você evitar que isto aconteça com seus animais.

Nas ruas ainda existem riscos de se contraírem parasitas como pulgas e vermes, além de doenças transmitidas entre os gatos que não possuem cura, como a aids e a leucemia felinas (FIV e FELV). Para a aids felina não existe nem vacina preventiva. Se o seu gato entrar em uma briga, o que é comum principalmente entre gatos não castrados (e você não castrou seu gato ainda por que?), com outro portador de uma destas doenças haverá o contágio e ele pode eventualmente transmiti-las para outros gatos também. Já ouvi um infeliz comentário de uma veterinária (pasmem) de que gatos com estas doenças deveriam ser sacrificados para que não sejam disseminadas. Ao que parece, é muito mais prático do que manter o bichano em casa!

 

Distraindo o gato em casa

Não resta dúvida de que gatos que saem às ruas são mais ativos e que, com isso, os mantidos em casa estão mais propensos à obesidade. Portanto é imprescindível que você pratique o enriquecimento ambiental, que nada mais é do que tornar o seu ambiente mais atrativo e interativo, imitando situações que o animal enfrentaria em vida livre.

Se o gato caça…

Dê brinquedos a ele…

 

Se o gato anda em muros…

Construa passarelas a ele…

 

Crédito: gluemoon

 

Crédito: gesika22

Se o gato sobe em árvores…

Dê um arranhador a ele…

 

Crédito: jchatoff

 

Crédito: kroszk@

 

Mantendo o gato em casa

Crédito: gerriet

Gatos pulam janelas, escalam muros e, desta maneira, muitos acreditam que seja impossível mantê-los em casa. Ao contrário do que muitos dizem, a castração não garante que o gato fique em casa, ela promove apenas um motivo a menos para que ele saia. Para evitar suas saídas, é preciso telar as janelas e evitar que eles saiam para o quintal ou aumentar a altura dos muros colocando telas. Você pode optar por não ter trabalho contratando serviço especializado ou por gastar pouco usando sua criatividade. Se você não está disposto a nenhuma das duas opções, considere não ter um gato.

Veja alguns exemplos de telas.

Prove seu amor pelo seu bichano, mantenha-o em segurança.

Aline Ailetos

Blog | Twitter | Facebook | Google+

Introvertida, observadora, bióloga de formação. Apaixonada pelos bichos de estimação e sensibilizada pela causa animal. Defensora da guarda responsável de animais domésticos.

© Meu dono é o bicho - Todos os direitos reservados.
Não é permitida a cópia parcial ou total deste texto. Plágio é crime previsto pela Lei nº 9610/08.

3 Comentários

  1. 5 de Março de 2013 às 7:14 pm
    Céci

    Aline, providência número um quando minhas meninas vieram morar comigo: tela em todas as janelas. E, elas adoram ficar sentadas, em segurança, vendo o movimento do mundo lá fora. O melhor é a tranquilidade, pois abro as janelas sem medo de que ocorra algum acidente com elas. Agora, curiosidade… Não sei se você já leu, ou ouvir falar a respeito, sobre passear com gatos em coleira (guia peitoral específica). A sugestão é preparar o felino em casa seguindo um conjunto de passos, e os passeios devem ocorrer em pequenos jardins reservados, em horários de pouco movimento. Já viu algo nesse sentido? O que acha a respeito? Mas, é notório que gatos podem viver a vida inteira dentro de um apartamento ou casa sem problemas. E, a ideia das prateleiras para subirem e se divertirem, evitando o sedentarismo, é ótima! Minhas meninas em breve receberão as prateleiras delas! Abraços!

    • 6 de Março de 2013 às 10:31 am
      Aline Ailetos

      Olá Céci,
      Sim, telar as janelas é realmente a primeira providência, principalmente porque gatos adoram janelas!
      Eu já vi sim sobre passear com gatos com peitoral específica. Muitas pessoas passeiam com seus gatos e parece que muitos gostam do passeio! É até uma das recomendações para evitar a obesidade. Eu particularmente nunca tive coragem de sair com meus gatos para passear, mas já tentei andar com eles usando peitoral em casa, sem muito sucesso! Porém, acredito que com o tempo eles se acostumariam e aceitariam a peitoral.
      Abraços.

  2. 6 de Março de 2013 às 10:29 am
    Aline Ailetos

    Olá Céci,
    Sim, telar as janelas é realmente a primeira providência, principalmente porque gatos adoram janelas!
    Eu já vi sim sobre passear com gatos com peitoral específica. Muitas pessoas passeiam com seus gatos e parece que muitos gostam do passeio! É até uma das recomendações para evitar a obesidade. Eu particularmente nunca tive coragem de sair com meus gatos para passear, mas já tentei andar com eles usando peitoral em casa, sem muito sucesso! Porém, acredito que com o tempo eles se acostumariam e aceitariam a peitoral.
    Abraços.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados por *

*
*